Novidades

Testes

Competição

História

Apresentação

Home » Testes

Kawasaki Ninja 250: a 1ª da classe

Enviado por on 6 de Março de 2012 – 23:0082 Comentários

Texto: Laner Azevedo e Roberto Agresti
Fotos: Gustavo Epifânio

 

A menor das Ninja é sonho de consumo de muitos. O belo design, aliado à performance razoável, são seus trunfos. Desde o final de 2008, quando a Kawasaki iniciou suas operações no Brasil em 1ª pessoa, a marca conta com uma espécie de “menina dos olhos” em sua linha, responsável por quase metade de suas vendas desde então: a esportiva Ninja 250R. Segundo o ranking dos emplacamentos publicado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores – a Fenabrave –, desde sua estreia aqui cerca de 10.500 “Ninjinhas” chegaram às ruas do Brasil, tornando-a indiscutível líder de seu segmento diante de sua única real concorrente direta, a Kasinski Comet 250R. Não é segredo para ninguém que tanto Honda como Dafra estão de olho no cliente desse segmento das pequenas esportivas de 250 cc dominado pela Kawasaki: a Honda já anunciou a chegada de sua CBR 250R, assim como a Dafra já colocou no mercado sua Roadwin 250, com tecnologia da coreana Daelim, novidades estas que têm uma marcante diferença técnica em relação a Ninjinha e Comet por serem dotadas de motores monocilíndricos, e não bicilíndricos. Motorizações à parte, o sucesso da Kawasaki Ninja 250R não é apenas um fenômeno local, uma vez que mesmo em mercados exigentes como os EUA e Europa, a carreira da menor das Ninja tem sido muito positiva.

VIVA O DESIGN! - Não é muito difícil entender a razão do sucesso da Ninja 250R. Basta não ser cego para enxergar que é no design que reside o grande apelo dessa moto. A Kawasaki conseguiu fazer uma 250 dotada da proverbial agressividade de suas mais brilhantes superesportivas, como as atuais ZX-10R e ZX-6R, herdeiras de guerreiras Ninja do passado, cuja estirpe se iniciou com a 1ª das Ninja, a GPZ 900R de 1984. É uma 250 que parece uma moto muito maior, porém a Ninja 250R não teria sido tão bem recebida se por trás dessa feliz aparência não houvesse substância, se seu comportamento dinâmico não combinasse com o seu visual. A alma da Ninjinha é um competente motor bicilindro com refrigeração líquida e comando duplo no cabeçote que aciona quatro válvulas por cilindro, capaz de gerar 33 cv a 11.000 rpm e 2,24 kgf.m de torque a 8.200 rpm. O câmbio tem seis marchas e as rodas de liga leve são de 17 polegadas, calçadas com pneus radiais. Um poderoso disco de freio dianteiro de nada menos que 290 mm de diâmetro é mordido por pinça de pistão duplo. Atrás o disco tem 220 mm e ambos são do tipo “wave”. O conjunto ciclístico se vale de um chassi tipo diamond de aço, a suspensão dianteira é convencional com tubos de 37 mm‚ e atrás reina o sistema Uni-Trak, com monoamortecedor dotado de regulagem na compressão na mola. E tudo isso custa pouco mais de 15 mil reais, o que garantiu à Kawasaki Brasil vender uma média de 400 Ninja/mês nos últimos dois anos. Nada mau.

O cliente da Ninja 250R é aquele típico motociclista que não compra uma moto apenas para transporte, mas sim também por prazer. Ao lado das já comentadas qualidades estéticas desta Kawasaki e de sua aparência de “motão” há o conjunto técnico que seduz a muitos. Sem desmerecimento à sua concorrente Kasinski, para aqueles que apreciam uma pilotagem esportiva a Kawasaki é uma moto imbatível, como veremos adiante. Em termos de mercado, qualquer motociclista que queira subir um degrau ao deixar as utilitárias de 125 ou 150 cc, ou até mesmo nakeds como a Yamaha YS 250 Fazer e Honda CB 300R, terá na Kawasaki Ninja 250R seu caminho natural: em sua faixa de preço são poucas as opções, e nenhuma delas tão bela e esportiva, e muito menos dotada de um nome tão lendário quanto “Ninja”, concordam?

NA CIDADE – Torque máximo situado a 8.200 rpm: esse talvez seja o principal defeito da Ninja 250R. Em uso urbano seu piloto não pode ter preguiça de trocar de marcha, pois para manter o motor sempre esperto e conseguir respostas eficientes, reduzir é preciso, sempre… Outro aspecto ligeiramente incômodo da menor das Kawasaki à venda no Brasil é o limitado raio de esterçamento, o que complica levemente serpentear com ela entre os carros. Porém, há compensações, e elas surgem através do bom comportamento das suspensões, que mesmo tendo um ajuste mais para o rígido, como convém a uma esportiva, são capazes de copiar com competência as irregularidades e garantir boa estabilidade. A frenagem também é outro ponto a ser destacado na Ninja 250R, tanto pela progressividade como pela potência do disco dianteiro, cujo manete oferece boa sensibilidade. Esportiva que é não se pode, porém, considerar o conforto em uso urbano algo de excepcional: os semiguidões são baixos e o peso do corpo grava sobre os punhos de maneira importante. Além disso, o banco não é exatamente uma poltrona, especialmente a porção dedicada ao garupa…

NA ESTRADA - Se o fato de funcionar bem apenas em rotações altas chega a incomodar na cidade – lembrando o comportamento um motor dois tempos –, na estrada essa característica mostra o quanto a Ninjinha pode ser uma moto divertida. É quando é possível extrair o melhor que seu motor tem a oferecer. Esticando a quinta marcha até aproximadamente 11.000 rpm (momento em que o biclilíndrico urra alto e feliz), é possível alcançar a velocidade de 154 km/h reais! Como se não bastasse, ela ainda é capaz de manter, sem sofrimento, a velocidade média de 135 km/h. Excelente para uma belezinha com apenas 250 cc. Quando surgem as curvas, mais diversão. Tanto as de médio quanto as de grande raio, a Ninja contorna com certa facilidade, sempre se mostrando estável e firme em sua trajetória, o que faz dela uma moto não só fácil de pilotar, como também segura. E por falar em segurança, quando é preciso parar, mais uma vez a Ninjinha não nos decepcionou. Nas frenagens a 100 km/h, ela precisou de 62,5 metros para chegar à total imobilidade. Defeitos? Sim, ela tem. O maior deles talvez seja o painel de instrumentos, que não só é antiquado como incompleto, sem marcador do nível de combustível. A Kawasaki precisa revê-lo com urgência, pois neste quesito a futura concorrência nada de braçada. O preço de R$ 15.540 não é o que podemos chamar de bom, mas é acessível para quem deseje ter uma genuína Ninja.

 

LEIA TAMBÉM:

82 Comentários »

  • MATTOSO diz:

    Acho um grande exagero dizer que a ninjinha é muito melhor que a Comet. É um projeto mais moderno sim, mas tem um painel antiquado uma ponteira de escapamento muito feia e ainda é uns 2 mil mais cara que a Comet o que nesse segmento faz diferença.

    • Rafael diz:

      Ponteira feia ?? acho q vc ta falando da ponteira da comet certo ?? O painel podiam melhorar sim, mas posso te dizer q tem mais coisas que a ninja 250r da um banho na comet.. coloque uma lado a lado e veja vc mesmo… a comet é otima moto mas a ninja é superior.. e vale cada centavo a mais..

    • Daniel diz:

      Não tem nem como comparar a Ninja com a Comet… a moto da Kasinski tem vários problemas crônicos na injeção, com várias panes elétricas, estouro prematuro de retentores de bengala, vazamento de óleo e falha nos freios.

      Fora as quebras de quadro que são bem comuns se você procurar nas comunidades do orkut ou fórum da Comet. Além do motor de custom, refrigeração arcaica etc

      O desempenho da Comet também é bem inferior e possui erros gritantes na velocidade de painel.

      • bruno diz:

        cara, com todo o respeito, mas duvido q vc teve uma comet pra escrever um absuro destes! Estou na minha 2ª (1ª naked e agora a GTR), e juro por Deus que tudo q vc escreveu não confere com a realidade!!

        Obs; voce deve ser daqueles q só dirigem CG e ficam escrevendo comentarios maldosos por inveja…

        • BURUCUTU diz:

          Desaprovo o seu comentario.

          Pois acho que o Daniel é mecânico, pois ele descreveu algumas das maiorias dos problemas que realmente acontece.

          Se a tua nunca apresentou algum problema desses é porque voce comprou e deixa em casa, ou seja não coloca para rodar mesmo vai fazer uma viagenzinha pro Chile vai. Ai tu vai ver como volta. Aliás se volta.

          • bruno diz:

            HAHAHAHA, se ta falando serio? Por o cara ser mecânico sabe tudo sobre todas as motos?? Na boa, vc acha q esse cara conhece melhor a moto do que eu, já tive 2 destas? (isso sem falar em outros modelos q já tive)
            Segue algumas observações:
            - Painel com marcador de combustível na GTR, na ninja só tem luz de reserva
            - No painel da GTR tenho 2 pedômetros parciais e um total, na ninja tem o total analógico
            - ativando o pisca, na gtr indica qual é a seta ativa, na ninja é uma luz para ambas as direções.
            - relógio no painel
            - suspensão invertida, esportiva
            - posição de pilotagem, esportiva
            - regulagem de freio no manete
            - ajuste da suspensão traseira
            - lanterna traseira em led
            - seguro muito mais barato
            - peças muito mais baratas que na ninjinha
            - 3 anos de garantia, nao paga peças
            - pisca alerta
            - porte de esportiva
            - sai na frente da ninja em semáforo e só perde a partir dos 150 km/h
            - velocidade final é só 5 km/h a menos que a ninja
            - Ninja inviável pra quem tem 1,80 pra cima

          • MATEUS diz:

            BEM BOA NOITE GALERA,O NEGOCIO E O SEGUINTE TENHO UMA COMET GTR 250EFI 2010 SO MECANICO DE MOTO,PORTANTO TRABALHO COM ISTO A MUITO TEMPO,E OPTEI EM COMPRAR UMA PRA MEU USO DIARIO,EU SO ANDO NA BALA JA DEI CORO EM CEBEZINHA 291CC EM FAZER 250 A MINHA MOTO NUNCA DEU PROBLEMA ATE HOJE 2 ANOS DE USO SO TROQUEI PNEUS ATE A RELAÇAO AINDA E A ORIGINAL(RIFEL)SEMPRE VIAJO PARA ENCONTROS DE MOTOCICLISMO,ISTO DE FICAR PUXANDO O SACO DA MOTO SO PORQUE POSSUE UMA E BABAQUICE!!SE EU TIVECE ALGUM PLOBLEMA COM A MINHA EU SERIA UM DOS PRIMAIROS A METER O MALE!!!A NINJA 250R E LAVEMENTE SUPERIOR DEVIDO SEU PROJETO MAIS MODERNO COMO CITADO PELO AMIGO,AS DUAS SAM MOTOS ESPLENDIDAS PARA SUA CATEGORIA PARA SUPERALAS SO SE FOR 600cc FORA ISTO VAI COMER POEIRA!!TENHO AMIGOS QUE POSSUEM A NINJA JA ATE TROCAMOS DE MOTO NOS FINS DE SEMANA P VARIARMOS UM POCO QUAL A MINHA IMPRESAO,A NINJA EMBALA UM POCO MAIS RAPIDO,POREM AS MARCHAS DA COMET SAO MAIS ALONGADAS,A NINJA TEM 6 A COMET 5 POREN A COMET TEM MAIS ESTABILIDADE AOS 160 KL P HR A NINJA SAI UM POCO DE TRASEIRA A NINJA SE MOSTRO MAIS CONFORTAVEU NA PILOTAGEN,POREN A COMET E PURA ESPORTIVIDADE!!RESUMINDO AS DUAS SAO ECELENTES MOTOS E BESTEIRA FICAR COMPARANDO SE AS DUAS SAO NOTA 10!!COMO DICE SO MECANICO E JA CONSERTEI TANTO UMA QUANTO A OUTRA COM DIVERSOS DEFEITOS ENTAO NADA Q CONDENI AS MOTOS RSRSRS!!!AO CONTRARIO DA CEBEZINHA 291cc Q COM A LICENÇA DA PALAVRA E UMA(MERDA)A AGRADEÇO A PREFERENCIA DA GALERA AFINAL RSRSRSR E AQUE MAIS ME DA LUCROS RSRSRSR!!!OS CARAS LANSAO UMA MERDA DESTA CARA P CACETE TEM DOIDO Q COMPRA E QR CRITICAR.ENTAO NA MINHA UMILDE OPINIAO!!TANTO A KASINSKI COMET GTR 250 QUANTO A KAWASAKI NINJA 250R SAO ESELENTES MAQUINAS NA MINHA OPINIAO COMO MECANICO, NO VISUAL DOQ NA QUALIDADE UMA DA OLTRA!!SE AS DUAS SAO NOTA 10 FICA A PREFERENCIA DE QUEM VAI COMPRAR UM ABRAÇO GALERA E VALEU

        • paulo diz:

          Concordo. A maioria dos comentários sobre a kasinski são de titanzeiros e bizeiros que falam mal da marca porque não conseguem comprar uma. Tenho uma GT 250 e estou muito contente com a moto, que não dá pane, não estoura amortecedor, não quebra quadro, não apaga na chuva etc e tal…. como relatam alguns invejosos. Mesmo assim, tenho plena consciência que a kawasaki é uma moto melhor acabada, mais confiável e com um valor de mercado superior. Acredito que faltam alguns detalhes para a kasinski entrar de vez no mercado, começando pelo pós venda e oferecendo CCs de maior respeito, com mais visibilidade e credibilidade perante o público.

          • lucio diz:

            pouco mais de 15o km h faz a ninjinha?isso mesmo que li ? minha comet gtr efi faz isso sem precisar de uma marcha a mais e nem da pra sentir,ja fiz 176km h isso amaciand e sem puxar de final fala serio que vcs ainda cre q tem comparativo,so por causa de nome vcs compram,lucro brasil,onde os palhaços fazem as melhores piadas

          • simone diz:

            meu marido tem uma comet gtr 250 , ele vai trabalhar com ela todos os dias ( e olha que é de uma cidade a outra )e até hoje a única coisa que ela pede é combustivel.

      • paulo diz:

        Daniel, se você quiser fazer comparações, faça com dados e fatos ! Pelo que voce falou da Comet, só falta dizer que o chassi vai quebrar e a moto vai explodir ! Se você não tem nada para fazer, vai andar com sua biz com escapamento de R$ 40,00 e pára de encher o saco.

    • Renato diz:

      A grande questão é o Coração da Comet que é razoável (meia boca) se por um lado a ninjinha anda com tranquilidade em alta rotação a comet por sua vez vc corre um sério risco de arrebentar com a moto (fundir), bom isso é o que tenho recebido de alguns relatos, abraços.

      • bruno diz:

        Fundir se andar em altar? Leia abaixo e depois venda a sua Pop 100CC e junte para compra qualquer 250 CC, ok?

        .Aí vai mais uma referência da Comet, pois possuo uma 250 GT 2012 e fico indignado quando pessoas sem nenhum conhecimento espalham bobagens pela Internet. Se for para falar mal, que pelo menos tenham fundamento nos assuntos, com o objetivo de informar e não simplesmente desmerecer um produto novo no mercado:

        No início de 2012, ocorreu uma prova de motocilcismo de longa duração: as 500 MIlhas de Interlagos. Kasinski Comet GT 650R disputou na categoria Força Livre – motos entre 600 cm3 de cilindrada e 1000 cm3 de cilindrada – num total de 17 participantes numa corrida de mais de 07 horas de duração. Mesmo numa uma disputa entre modelos de alta potência, variando a força entre 80 e 200 cv, a Comet GT 650R teve desempenho excepciona, sendo superada apenas pela vencedora da categoria, a Yamaha YZF R1, de 1000 cm3 de cilindrada. Ou seja, a Comet chegou em 2º lugar, batento várias CBR 1000, Ninja 1000, GSX 1000, BMW 1000, etc… Detalhe – não podiam ser feitas alterações no motor, apenas nos freios e pneus. Alguma dúvida ainda sobre a qualidade e durabilidade das Comet ???

      • ARTHUR diz:

        SOBRE A DIRIGIBILIDADE DA NINJA 250 R
        PREZADOS PROPRIETÁRIOS A NINJA 250 TEM QUE TER AMORTECEDOR DE DIREÇÃO. COMO MOTOCICLISTA EXPERIENTE 30 ANOS DE ESTRADA, LEVEI UM TOMBÃO DE BOBEIRA. E JÁ VI COMENTÁRIOS SIMILARES. SE BATER NUM BURACO OU BUEIRO A DIREÇÃO FICA BOBA E VC FICA COM UM BOI BRABO SEM CONTROLE. É MUITO LEVE.
        COMPREI UM ESSA SEMANA E VOU INSTALAR PARA VER A DIFERENÇA.
        TENHO UMA FONTE QUE VENDE BEM MAIS EM CONTA QUE A AS LOJAS. ALÉM DO MAIS É LINDÃO PRETO E DOURADO.

    • Euclevair diz:

      Acabou!!! acabou a liderença dessa Marca.

      A Honda CBR250R acaba de chegar nas concessionárias, com desing moderno,painel digital de fácil leitura, sistema de injeção PGM-FI, motor monocilidrico com sistema DOHC e cambio de 06 marchas.

      Dúvidas (19)3734-3720

      • BURUCUTU diz:

        Infelizmente a Honda está muito coca cola, porem não estão com esse Gás todo. A CBR 250 nada mais é que uma TWISTER carenada e com injecão eletronica,e realmente uma TWISTER com essas modificacão não vale R$ 9.000,00 a mais.

        Pense sobre esse assunto.

        Porque que o pesoal desistiu da CB 300 e voltaram para 250 HEIN, HEIN, HEIN, podiam ter feito uma 300 carenada, e mesmo assim ela seria uma TWISTER carenada com injecão eletronica e com 50 cc a mais rsrsrsrsrs.

        • romulo diz:

          ja vi que vc ñ entende mesmo de moto,simplismente olhar e ver o motor de um cilindro e dizer que é o mesmo da twister e cb300r é facil, mas vc esta enganado este motor tem a inclinação de uma super esportiva e balancins roletados que só são encontrados em motos esportivas de alta cilindrada e só ñ ganha em velocidade final da ninja 250r porque ela é dois cilindros 33cv e se a cbr 26.4cv com somente um cilindro se ganhace ai era d+ ñ é,e pra vc ter uma ideia do seu torque é superior as duas concorentes. o unico defeito da cbr é ter somente um cilindro para competir com as cocorrentes diretas de dois cilindros.

    • Daniel diz:

      Parabens a Kawasaki em entrar com a Ninjinha no mercado brasileiro, todos vao concordar comigo que esta e a grande porta de entrada para as altas cilindradas, ou seja quem tem uma quer sempra mais. a minha ja ta com 2000km e ja estou pensando numa 600. e voces?

    • Rafael Leão diz:

      Pô cara, a gente discutindo qual é melhor e você vem falar de painel antiquado, de ponteira feia? Pelo amor de Deus amigão! Beleza é questão de gosto, eu quero saber qual é MELHOR, não qual é mais bonita…

  • Felipe Américo diz:

    MATTOSO, o projeto da Ninja 250R possui muitos traços antigos.
    A Comet GT250R possui traços bem mais modernos que a concorrente, possui bengala invertida e custa 2 mil reais a menos…possui um apelo mais esportivo até na posição de pilotagem, é certo que o acabamento da Kawasaki é excepcional.
    Porém infelizmente aqui no Brasil, compra-se motos por marca e não por pesquisa/análise.

    • paulo diz:

      Pois é ! Sem dúvidas a kawasaki é uma marca consagrada no mundo, e com méritos. O que me deixa p… da vida são comentários e reortagens que supervalorizam uma marca e insinuam descrédito para outras. Faço a observação que a esportiva mais vendida em 2011 no Brasil ( fonte revista duas rodas, por categoria de moto ) foi a COMET GTR 250. Porque então o sonho de consumo dos brasileiros é a ninja, e não a mais vendida????

      • BURUCUTU diz:

        Falou certo em 2011 todu mundo comprou, porem em 2012 todos estão tentando vendelas e não conseguem rsrsrsrsrsrsr

      • ARTHUR diz:

        AMIGÃO,
        FIQUEI EM DUVIDA ENTRE AS DUAS. REALMENTE A COMET É MAIS EMPOMBADA. MAS É UM SAPATO NA HORA DE VENDER. DESCULPE MAS MARCA É MARCA. KAWASAKI SEMPRE. ESTOU ADORANDO A MINHA. É EXCELENTE NO DIA A DIA DO TRANSITO POIS PASSA EM QUALQUER BURACO E NA ESTRADA, SE VC NÃO TIVER A PRETENSÃO DE SER UM FLAHS MAN ELA VAI BEM ATÉ UNS 130. PASSOU DISSO O RISCO É POR SUA CONTA. FALHAS QUE NOTEI: DIREÇÃO MUITO LEVE ( MERECE UM AMORTECEDOR) E O FREIO TRASEIRO MEIO MAROTO. SÓ USO EM ULTIMO CASO E JUNTO COM O DA FRENTE QUE SÓ ELE SEGURA MUITO.
        ABRAM O OLHO COM OS BURACOS E NÃO BRINQUEM DE FICAR SOLTANDO AS MÃOS.

  • nilton diz:

    Comparar motos mesmo que seja da mesma categoria não é uma tarefa facil,porque gosto não se discuti,mais dizer que uma comet é melhor que uma ninja tão de brincadeira,,queria ver um comparativo das duas depois de um ano de uso,junto com seus donos para ver quem tomou mais remedio para dor de cabeça,e o valor de revenda para ver quem perde mais.

    • Renato diz:

      Com certeza, talvez a única “vantagem” da comet seja a aparência e isso para alguns, mas de todos os outros pontos de vista a kawasaki está muuuiiito na frente, mas torço sempre para que haja cada vez mais concorrentes.

    • paulo diz:

      Olha Nilton, a minha Comet já tem meio ano de uso e tenho que tomar calmantes para não andar todos os dias com ela. Não tem nada solto na moto, as peças estão perfeitas, a ignição é tranquila, geralmente de primeira mesmo com a moto parada a alguns dias. Acho que em um ano não haverá problemas. Quanto à revenda, tenta vender uma ninjinha usada por R$ 14.500,00, como estão anunciando, para ver se dá certo o negócio ?????????

  • volnei pereira diz:

    Estou pensando em comprar uma, apesar de me encaixar bem na minha lander 250.

  • É inegável que o nível de qualidade da Kawasaki seja superior ao da Kasinski. De fato, AMBAS as motos são caras, poderia custar, cada uma, uns 2 ou 3 mil reais a menos.

    Voltando ao assunto qualidade, a Kawasaki anda mais, bebe menos, vibra menos, é mais leve e é mais estável, mesmo com suspensão dianteira convencional.

    Sobre o design, é nítido a modernidade dos traços da kasinski, enquanto a Kawasaki é bem defasada neste quesito!

  • Mauricio diz:

    Bom…Discordo quase que totalmente da reportagem. Quando li a manchete já comecei discordando, sei que cada um tem um gosto, mas tive a oportunidade de andar nas duas motos no mesmo dia e gostei mais da GTR, tanto na estrada, quanto na cidade. A posição da GTR sim, é mais esportiva, mas cansei menos que na Ninja, pois me encaixei na GTR e na Kawa eu escorregava no banco pra frente e isso não era legal. Sobre manobrar a moto dentro da cidade é melhor com a Kawa, mas achei a Comet mais macia e boa na estrada igualmente. Consegue-se manter 130km com as duas com facilidade, sobrando acelerador para uma ultrapassagem se necessário, não só com a ninjinha como diz na reportagem, outro aspecto que discordo é o design, as duas estavam lado a lado e não tem como comparar, a Comet é bem mais bonita, além de transparecer mais modernidade (lanterna em led, conjunto dianteiro, PAINEL). Outro aspecto importante é a manutenção um pouco mais barata da moto da Kasinski, sendo que teria que andar 200 km pra chegar numa concessionária Kawasaki. A manutenção da Kasinski é mais fácil pois também compartilha peças com outras motos também. Andei nas duas e decidi comprar a Kasinski, agora só falta vender minha Fazer. Iria esperar até o final do ano, mas como acho improvável a Yamaha lançar alguma coisa, vou nessa mesmo. Honda não cogito.

  • Mauricio diz:

    Esqueci de comentar ali, o número de vendas que foi citado ali na reportagem de 400 motos por mês só pode ter sido tomado como base o último mês, que está sendo colocada no mercado a linha 2012 da Kasinki, é só ver nas outras edições da revista que a GTR vende mais, quase sempre 30 – 40 motos a mais por mês. Acho que a reportagem não teve manteve uma neutralidade boa, porque não fizeram um teste das duas juntas mesmo??? Testaram a GTR em uma edição antiga, com a VFR 1200 na capa, e agora a Ninjinha. É fato que a Comet vende mais, ao menos o ranking da Fenabrave indica isso, não nesta edição, mas nas passadas sim, várias.

  • LEONARDO FERNANDES diz:

    argh…..andar de NInja 250 ou Comet 250 é o mesmo que
    fazer uma sessao de ginástica.
    eu possui uma Comet 250 e posso dizer que eu ficava com
    preguiça de andar nela por causa da falta de torque em baixas
    rotaçoes.
    arrancar num morro com garupa entao, nem se fala.
    pura ilusão, tanto ela como a Ninja.
    quem compra isso está comprando SÓ o visual esportivo e
    nada mais.
    melhor comprar as 300 da Honda ou as 250 da Yamaha.
    ou entao a Next 250 da Dafra, que está chegando.
    ou melhor ainda, a Citycom 300.
    pelo menos elas nao dao preguiça de andar.

  • Antonio Pinto diz:

    Infelizmente 15 mil só no papel … aqui em Vitoria-ES a (única) concessionária cobra mais de 17 mil … ô frete caro … deve vir de 1ª classe …

  • Wellington diz:

    Verdade seja dita, com relação à isenção da reportagem, não deu para entender um novo teste de uma moto inalterada desde o lançamento. Testem a GTR de novo. A Fazer de novo. Estranho mesmo, fica até a impressão de matéria paga, o que seria bizarro em se tratando da Moto! Recuso-me a acreditar que Agresti, Quinho e cia., se prestem a isso.

  • Danilo diz:

    Porque a kawasaki não coloca um painel digital nesta moto, essa moto merece um velocimetro, hodômetro, visor de nivel de combústivel totalmente digital com um conta giros analógico com um design legal.
    Essa moto tem um som que lembra a CB500, e seu desempenho é muito bom em arrancada e velocidade final.

  • Danilo diz:

    O som desta moto faz lembra a CB500, Mas está Ninja250 merecia um painel de instrumentos digital com um conta giros analógico isto melhoraria seu visual na visão do piloto.

  • Jeferson (Caçapava-SP) diz:

    Como proprietário de uma Kawasaki Ninjinha, não tenho do que reclamar.

    Não adianta querer comprar uma bicicleta de alumínio com 21 velocidades, freio à disco, pintura perolizada… que jamais vai correr como uma moto.

    Assim também, não queiram que uma Ninjinha 250cc, seja como uma Ninja 1000.

    Dentro das limitações de uma 250, chegar aos 175Km/h é muito mais do que se pode esperar de qualquer 300cc, ou 400cc como a Falcon e quiçá não empata com uma CB 500 na velocidade final?

    Quanto a não ter torque, é questão de troca de marcha; não chegará a ser uma Superbike, mas já que quem compra uma Ninjinha quer levar a “vida na esportiva”, a mudança de marchas faz parte.

    Quem quiser passar dos 300Km/h, que compre uma Suzuki Hayabusa;
    Quem quiser se aventurar num off-road, que compre uma Yamaha Ténéré;
    Agora quem quiser status, velocidade final maior do que a da concorrência, menor desvalorização, seguro mais barato… que compre uma Ninjinha.

    Por falar nisso estou vendendo a minha 2010, azul, licenciada até Julho/2013, 14.800Km, todas as revisões feitas na concessionária, slider (protetor de carenagem), R$13.500,00.

    Tel.(12)9737-0394.

  • Tmax diz:

    Para o amantes da Comet tudo bem que ela é mais moto no visual bem mais imponente, bengalas invertidas, painel digital, lanterna traseira de led, freios a disco duplos na dianteira…
    Agora vamos lá, a ninjinha não tem um visual tão imponente quanto o da rival Comet, mas é uma moto bem mais leve, não é problemática, seu freio de um disco só na dianteira da show no da rival que tem dois, sua suspensão dianteira convencional da japa de tubos tem um funcionamento bem progressivo e linear que essa invertida ai da Comet.
    Vídeos no youtube mostram a verdade a ninjinha da rala em todas de sua categoria até mesmo no próximo lançamento da Honda CBR 250R http://www.youtube.com/watch?v=IvCarbUP7ZI
    , eu sei que é difícil engolir Cometizeiros, mas é apenas a verdade.
    Comet bonitona e imponente X Ninja ciclística e desempenho acima da media de suas concorrentes .

  • Tmax diz:

    A Revista de Moto podia fazer um mega comparativo entre as duas, Comet GTR 250 e a Ninja 250.

  • Julio diz:

    Pessoal, me desculpem. Tive uma Ninja por 6 meses e a moto é espetacular para uma 250cc. E comparar uma Kawasaki com uma Kasinski (Hyosung) é até pecado.

    • bruno diz:

      - Painel com marcador de combustível na GTR, na ninja só tem luz de reserva
      - No painel da GTR tenho 2 pedômetros parciais e um total, na ninja tem o total analógico
      - ativando o pisca, na gtr indica qual é a seta ativa, na ninja é uma luz para ambas as direções.
      - relógio no painel
      - suspensão invertida, esportiva
      - posição de pilotagem, esportiva
      - regulagem de freio no manete
      - ajuste da suspensão traseira
      - lanterna traseira em led
      - seguro muito mais barato
      - peças muito mais baratas que na ninjinha
      - 3 anos de garantia, nao paga peças
      - pisca alerta
      - porte de esportiva
      - sai na frente da ninja em semáforo e só perde a partir dos 150 km/h
      - velocidade final é só 5 km/h a menos que a ninja
      - Ninja inviável pra quem tem 1,90

      tem certeza que é pecado??

  • Fabio diz:

    Concordo com o Maurício em discordar da reportagem, em especial a tabela de medições no final. Os dados apresentados de consumo, velocidade final e tempo de 0-100 km/h devem sofrer enormes variações, visto que a minha moto apresenta desempenho bem diferente do apresentado. O consumo na minha, por exemplo, fica entre 28 km/l (andando mais suave) e 21 km/l (esgoelando), com média em 25 km/l mais ou menos.

    Pode haver influência do condutor nesses números (peso 70 kg com os equipamentos, talvez menos que o autor do texto).

  • tarcisio diz:

    tenho uma ninja nao tenho o que reclamar dela ja tive uma gs500 e posso dizer com propriedade que a ninja e bem mais gostosa de pilota tem mais estabilidade so perde no torque e divertida e gostosa de pilota

  • Flávio diz:

    Olá apreciadores de moto!

    Prá dizer a verdade, pretendo comprar uma moto para uso urbano e em viagens e vejo na ninja um desempenho satisfatório na segurança e na economia. Entretanto, de todos os proprietários dos dois modelos, ninja e comet 250, somente os donos de Kasinski me falaram de algum tipo de problema em suas motos, principalmente elétricos e de vazamentos. Quanto à economia, a ninja compensa o preço mais elevados em alguns meses de viagens, devido ao consumo menor. No relato de que já andou nas duas acredito que as opiniões divergem muito, especialmente por ser uma questão sujetiva. Mas com total certeza, o visual da COMET é muito mais Sport do que a NINJA, porém temos nesta última um visual Clássico.
    Proteja-se no trânsito, e fique VIVO!!!
    Abraços…

  • Arnold diz:

    Do que adianta andar com uma gata gostosa do seu lado, se ela so te trai, so te dar desgosto so quer coisa cara??NINJA e COMET ambas são ruins so faz um pouco de diferença nos cavalos, mas se voce passar uma semana testando fazendo os mesmos percusos vc vera a diferença, eu moro em são luis do MA, tive oportunidade em andar em quase todas, devido eu ser lider de um moto clube, GTR pessima no transito minha perna ficou sem nenhum cabelo so de quente, NINJA muito dura, CB 300 e FAZER mais prazerosas e maleaveis, HONDA vai no açougue vc encontra peça dela,NINJA da taca em todas, sei disso mas, é so pensar no que eu falei no começo q vc ira decidir ql comprar!!!
    VALEU………………………………

  • Tmax diz:

    Vetando meus comentários???? Eu um leitor de dessa revista desde 1996 e com assinatura de 2 anos paga, que tratamento… Parabéns a toda a equipe, continuem assim!!!

  • Luiz Juttel diz:

    Gostaria de parabenizar o artigo. Possuo uma Ninjinha e, ao ler as qualidades e defeitos me senti pilotando a minha. Concordo em todos os pontos prós e contras e considero essa uma excelente moto de 250cc.

  • Chrystian Rech diz:

    Bem, tenho uma Suzuki yes 125. Sei que a moto é fraca e blá blá blá. Acontece que quase todos que usam motos desta mesma CC falam que a Suzuki é uma bosta e cara. Eu não acho nada disso. Paguei zeradinha 5e500 COMPLETA e até hoje não tive nenhum….mas nenhum problema. Costumo dizer que o unico problema dela é a sujeira.

    Por isso estou com um projeto para subir de CC para 250, para isso já estou pesquisando no mercado, porem minhas opções de compras são elas: MIrage 250, Comet 250, Ninjinha e se realmente vier para o Brasil a nova suzuki 250.

    Acho que todas essas marcas tem suas qualidades e defeitos, por isso não gosto de ler comentarios do tipo, Kasinski não presta e blá blá blá. Por isso quando for comprar minhas 250cc irei ler bastante em forun de usuarios que usam essas motos no dia a dia e perguntar para proprietarios dessas motos na rua. Isso já sai fazendo com as Kasinski e só tive elogios, principalmente na Mirage que tem mais conforto para o dia a dia por ser uma estradeira. O unico cara que citou um ponto negativo na Comet disse que a moto é boa, porem o tanque é muito pesado para um motor 250 na arrancada, mas no mais ela é boa.

    Abraços.

  • paulo diz:

    Com relação aos problemas que são relatados pelos proprietários ( ou não !!!! ) das comet e ninja, realmente fico com uma dúvida: será que nenhuma ninjinha dá problema ou seus donos tem vergonha de relatar ??? Já vi na minha cidade uma MV Agusta F4 semi nova impacar num semáforo e ser rebocada para casa, uma CBR 1000 RR falhando, etc. Com todo o crédito que a ninjinha merece, não deixa de ser estranho, pois não há relatos de falta de peças, de demora na oficina, de manutanção cara, de pequenas falhas…????

  • Jurubeba diz:

    Na verdade esse não é um comparativo, apenas um review só sobre a Ninja. Quase uma declaração de amor afinal, pois ao meu ver exageraram nos comentários positivos – um review mais preciso detalharia também os vários pontos fracos dessa moto.

    Se fosse para comparar diria que ambas estão no mesmo nível, mas privilegiam diferente cada piloto. A comet mima o piloto com estética e sensação de esportividade, painel digital, suspensão invertida, lanterna traseira em leds, pedaleiras ajustáveis etc. A Ninja entrega desempenho superior, leveza no conjunto que facilita a pilotagem, acabamento com bons arremates.

    Não é ótimo saber que independente da escolha estaremos bem servidos?

  • Luiz Manoel Noronha diz:

    Não tenho uma ninjinha pro conta do meu tamanho…mas teria uma sem duvidas…Vi um colega que pesa uns 10o kg andando com a ninja dele a 160 km/h junto de uma Fazer 600. Eu estava de Falcon a uns 130km/h e ele emparelhou comigo, ficou uns segundos e acelerou a bichinha e sumiu da minha vista.

    Um outro amigo que tem uma COmet GTR 250 só conseguiu me deixar pra trás, após os 140 km/h e assim mesmo, lentamente…

    São duas motos “boas” dentro do seu segmento…Mas a Ninjinha é superior principalmente no quesito cicística.

  • Pedro diz:

    …eu prefiro andar numa Ninjinha com painel velho, ponteira feia, bengalas convencionais etc…ao pagar 2000,00 a menos numa Comet, e no fim das contas perceber que toda esse “apelo esportivo” da moto não faz ela andar em nada a mais que a Kawa…aliás, consome mais, anda muito menos e não tem mercado!…

    • Marcelo diz:

      Se informe melhor amigo… a ninjinha tem só 5km/h a mais .. no máximo que a gtr.. mesmo a GRT sendo bem mais pesada.. quem quer correr nao compra 250… a comet gasta menos que a kawa.. nesse ponto vc errou feio.. e a manutencao é muito mais barata.
      a comecar pela revisao de 3000km.. na comet é 260 reais na ninja.. absudos valores entre 400 e 600 R$
      filtro de ar.. na comet R$70 na ninja R$260,00
      DUZENTOS E SESSENTA REAIIIIISSS NUM FILTRO DE ARRRR!
      preço de super esportiva andando 5km/h a mais que a comet só!
      e perde na arrancada!

  • Daniel diz:

    Prefiro a ninja a unica coisa que deve ser revista é o painel

  • VersysFloripa diz:

    Tive uma ninjinha antes da Versys é uma baita! Chega facil aos 175 km/h e o acabamento é primoroso. Freio nota 10. Economica, é só andar com giro lá em cima que não tem pra concorrência, muito menos Kasinsky, fala sério. GO NINJA

  • Mario diz:

    Tirando comentarios sem nocao referenciando motos de outras categorias ……fica dificil apostar na Comet caso os problemas sejam tao graves como estao sendo relatados, porque pequenos problemas todas tem. cbr1000 vazando oleo ja deu o que falar e nem é pequeno problema

    • paulo diz:

      Mario, comentários da internet são na maioria feitos por pessoas que não ententem nada do assunto ou que simplesmente querem defender a marca de moto que possuem, sem conhecer as outras. Se você tem dúvidas quanto à ninja ou comet, procure comentários de revistas especializadas, tando no Brasil como no Exterior. Você acha que a Kasinski daria 3 anos de garantia na Comet se o produto fosse ruim ? Em qualque comparativo, sempre vai ter aquela moto que anda um pouco mais, freia um pouco mais, tem uma retomada um pouco melhor, mas isso não significa que a oponente seja inferior. São apenas características de cada uma que vão definir a compra pelo gosto do cliente !! Até !!

  • jean diz:

    Cara só pra começar, nem lampejador de farol, coisa q até a suzuki yes tem a ninja tem…
    a comet tem bengala invertida, painel digital, lampadas em led, porte de 600 cc, as meninas pagam bem mais pau pra comet pois é muuuuuito mais bela, modelo 2012 tem dupla injeção coisa q a ninja tem uma…

    pessoas falam de problema, problema, problema eu tenho uma comet e ela nunca deu problema, alias qual nunca deu? até a cg 150 q é a mais vendida de todas já deu um dia…
    E outra falando em desempenho já ví videos da ninja dando 190, mexida eh claro e a comet dando 185, que tem cavalos a menos q a ninja…

    agora gosto eh gosto, se todo mundo ficar acreditando q por causa de uma comet ou outra todas darão defeito primeiro montem em uma antes de ficar tirando decisoes por causa de otarios invejosos…

  • paulo diz:

    Esta matéria é sobre a ninja e me desculpem os proprietários ou interessados nesta Kawa, mas após tantos comentários desmerecendo a comet, vou apenas lembrá-los de um fato ocorrido no início deste ano: A Kasinski Comet GT 650R disputou as 500 Milhas de Interlagos na categoria Força Livre – motos entre 600 cm3 de cilindrada e 1000 cm3 de cilindrada – num total de 17 participantes. Mesmo numa uma disputa entre modelos de alta potência, variando a força entre 80 e 200 cv, a Comet GT 650R teve desempenho excepcional, sendo superada apenas pela vencedora da categoria, a Yamaha YZF R1, de 1000 cm3 de cilindrada. Ou seja a valente Comet 650 GTR bateu várias CBR 1000, nijna 1000, GSX 1000 e chegou em 2ª lugar nesta prova onde não podiam ser feitas alterações de motor, apenas freio e pneus !!! Alguém se atreve a falar mal da qualidade e durabilidade da Comet ??

  • S diz:

    queria só saber de voces que tem ou testaram a ninjinha, se da de boa pra pilotar ela por alguem com miseros 1,55 de altura, haiuhasisuhds..

  • alexander diz:

    Amigos, gostaria de uma opinião de quem possui a Kasinsk Comet gtr250 se tiveram problema de travar o motos estando pilotando, pois estou pensando em comprar uma desta, mas estou com certo medo, já que no travamento do motor as rodas travam também e com isto podendo ocasionar acidentes graves, portanto aos que possuem esta comet 250R já tiveram este tipo de problema?

    • paulo diz:

      Alexandre, tenho uma comet gt 250 2012 e costumo andar de forma consciente e segura no transito. A comet mantém com naturalidade 120 km/h, sem forçar. Já andei À 150 km/h sobrando motor, mas devido às estradas aqui na minha região, parei por aí. Posso dizer que o motor da comet afina após os 100 km/h, eliminando qualquer vibração. Parece que a moto foi feita para andar em giros mais altos. Quanto à travamento de motor, acredito que ocorra com pessoas imprudentes que quererm terminar com o motor da moto, acelerando tudo o que for possível até cortar o giro. Realmente, não há moto que resista. Daí os comentários que a moto é ruim, que dá problemas, etc… Não dê muita atenção à todos os comentários da internet e procure informações de quem realmente têm a moto e anda de forma normal. Att.

  • Néo Oliveira diz:

    Tanto a Kawasaki quanto a kasinski são marcas que merecem nosso respeito pela história que possuem no motociclismo. O que vemos no mercado brasileiro é uma pequena ação de mídia de ambas principalmente na TV, isso sem dúvida colabora de forma negativa para o aumento das vendas. A Honda CBR 250 deve vim com uma campanha forte para tentar desestabilizar a liderança das concorrentes e será necessário uma resposta, pois moto por moto tanto a COMET quanto a NINJINHA não deixam nada para a nova honda( exceto pelo apelo de design da CBR). Ainda fico com a NINJINHA pois potência e desempenho na estrada é tudo nas esportivas, e elas são a portas de entrada para essse segmento.Além de que a CBR é menos potente, importada e a versão vendida é de 2011,com um ano de atraso.

  • Valeci Worm diz:

    Possuo uma Kawasaki Ninja 250R a 2 anos… tive por duas vezes o mesmo problema com relação a falta de estabilidade dianteira. Em ambas as ocasiões estava pilotando e a moto perdeu a estabilidade na dianteira, não permitindo o controle do guidão pois ocorrem muitos tremores, ocasionando em queda. O problema pode talvez ser sanado com a melhoria do amortecimento dianteiro ou a utilização de amortecedores de direção apropriados. Para uma melhor segurança no pilotar, a utilização de freios ABS a tornaria uma ótima moto.

  • Schiavo diz:

    Tive o trabalho de ler todos os comentários, e já andei em ambas as motos. Porém me limitarei a falar da minha.
    Tenho uma ninjinha verde que comprei zero em 2010.
    Chego a conclusão que a GTR é bonita sim, painel melhor e custos mais baratos, enfim, é uma boa opção para categoria e não desmereço quem tem.
    Confesso que optei comprar a ninja pela segurança que a marca trás pela história, poder de revenda e qualidade garantida.
    Desde quando era zero km até hoje com 15000 km, não precebo absolutamente nenhuma diferença de rendimento na moto.
    Vi comentários de consumo que achei estranho pois a minha faz 26 por Lt e eu trabalh com ela todo dia fazendo mais de 400km com o tanque.
    Quanto a arrancada e velocidade final depende do piloto na maiorida das vezes e isso posso falar até mesmo em autódromo pois fiz curso de pilotagem aqui no RJ.
    Nem sempre a GTR arrancará na frente, visto que é mais pesada e tem menos cavalos, então pode sim a ninja sair na frente.
    Quando ando normal muitas vezes vi GTR andando junto comigo por todo o percurso, mas quando estou com pressa ele não consegue acompnhar de jeito nenhum, algo q supera bem estes 5km de diferença.
    A ninja anda bem mais, excelente freio. Porém como falei a GTR é uma boa opção e na minha opnião melhor que a CBR 250 por exemplo.
    Eu pessoalmente já atingi os 170km na minha ninja, mas como falei não sou muito de correr até pelo consumo que aumenta, então quanto a valores indicados em revistas de comparativos, sempre tem tolerância de erro. Não levem ao pé da letra.
    a ninja só tinha que ter um painel digital, daí seria perfeita.

  • paulo diz:

    Realmente a ninjinha deve ser uma excelente moto, que vende bem pelo histórico e qualidade que tem a sua marca. Porém, é louvável que a yosung ( ou kasinski ) consiga incomodar tanto a kawasaki, sendo que as Comet foram lançadas em 2005 no mercado mundial e chegaram apenas em 2007 no Brasil. O valor de revenda ainda é mais baixo das motos da kasinski, porém, quero ver quem vai comprar a ninjinha usada com aquele painel de turuna 92 ( há, desculpem, a turuna tinha marcador de combustível…. ) com a chegada do belíssimo modelo 2013. Ainda sobre valor de revenda, tão comentado pelos defensores da marca, quero ver quanto as revendas da kawasaki vão oferecer nas ninjinhas usadas quando seus proprietários forem trocar a moto pelo novo modelo…. Agora o bicho vai pegar e acredito que o tão falado valor de revenda vai despencar. Nada contra a ninjinha, aliás, admiro muito e quase comprei esta moto antes de optar pela Comet. São apenas comentários.

  • jose diz:

    vejam só eu tenho uma ninja, conbinamos com meu amigo bruno de irmos pra paranaguá eu coma a ninja e ele de comet,nisso chega o robson primo dele que acabou de comprar uma cbr 250 beleza vamos nessa,quando pegamos a reta rsss meu amigo a comet quase que conseguiu me acompanhar mas a hondinha até pensei que tinhamos que amarrar atras da ninja ou a comet por deus bem mais fraca que a minha twister que eu tinha antes da ninja.rss

  • paulo rrr diz:

    AI PESSOAL TEM UNS CARAS QUE SO ESCREVEM MERDA NA INTERNET, A MAIORIA NEM CARTEIRA TEM PARA ANDAR DE BIZ , ESSA MEIA DUZIA DE BABACAS TEM MAIS É QUE PAGAR MAIS MESMO POIS COMPRAM E PAGAM A MAIS POR SELO (MARCA) TEM QUE FALAR PRA ESSES IDIOTAS QUE CONCORRENCIA É SALUTAR E FAZ BEM, SE NÃO FOSSE A CONCORRENCIA A MAIORIA IA ESTAR ANDANDO DE CG 125 SEM NADA DE TECNOLOGIA. TEM UNS BANANAS QUE ACHAM QUE A DAFRA É FABRICA DE MOTOS, A DAFRA ESTA IMOPORTANDO DUS 250 E MONTANDO AQUI NO BRASIL QUE DA UM BANHO EM TECNOLOGIA, TEM OUTROS QUE FALAM QUE NÃO COMPRAM MOTOS FABRICADA NA CHINA NA COREIA NA INDIA E ETC. A SIM FABRICA MAIS MOTOS QUE A HONDA E AINDA TEM A TVS NA INDIA QUE FABRICA ENTRE 6 E 8 MILHOES DE MOTOS POR ANO E EXPORTA INCLUSIVE PARA SER MONTADAS AQUI NO BRASIL. A NOVISSIMA CBR 250 É FABRICADA NA TAILANDIA LA ONDE A SIM FABRICA A NEXT 250 QUE VAI ARREBENTAR E PORAI VAI, DAI TEM MEIA DUZIA DE BANANAS QUE FICAM FALANDO BOBAGEM HOJE TODAS AS FABRICAS PRIMAM POR QUALIDADE E ALTA TECNOLOGIA MAS TEM GENTE QUE NEM SABE O QUE É TECNOLOGIA EMBARCADA. A CONCORRENCIA OBRIGOU A YHAMAHA HONDA E SUZUKI A SE MEXER SE NÃO FOSSE ISSO ESTARIAMO PAGANDO CADA VEZ MAIS CARO E COM MENOS TECNOLOGIA….VIVA A CONCORRENCIA E PAREM DE FALAR ESCREVER BOBAGENS.

  • eu nao acho q o painel analogico feio, , acho mais louco ver os ponteiros trabalhando, e o painel branco, é show d bola, so nao gostei so d uma coizinha na ninja, pois nao marca o combustivel, so quando ta pasando pra rezerva, q ela acend uma luz, fora isso, acho legal…paineu digital, é opicional, pra todos, tanto q ja tem paineu digital pra ninja, q tem como mudar pra varias cores no painel….a ninja tambem tem como fazer ele ficar grand tambem, e colocala com suspençao invertida tambem, e com dois freios a disco na frent…abraço

  • Ale diz:

    esse pessoal discutindo por causa de moto lembra minha infância na época do mega drive e snes, briguinha pra ver qual era o melhor rsrs.

    Na boa, façam um test drive nas duas e comprem a q acharem melhor, seja pelo visual, desempenho etc. vão curtir a vida povo chato

    Sobre o sistema d arrefecimento da comet ser arcaico como disseram pode até ser, mas ele eh mais eficiente que o ar e óleo da cb300.

  • Marcos diz:

    É triste ler, pessoas interessadas em velocidade final das motos. É fato que pessoas que pensam assim nunca chegarão a ter uma 1000. Deus não permite, por que vcs morrem..gente moto 125 a 300 cc é feita para aprender a andar, não para correr..

    É uma inicial para motos maiores. Se fazem isto com moto de 25 a 35 cv imaginemos o que faram com uma de 180 a 200 cv Entenderam? Nada impede que discutam sobre isto, mas esta não é finalidade para motos de baixa cilindrada. Mudem de opinião que a moto muda também…evolução financeira só vem com evolução pessoal….este não é o caminho pessoal.

    “BOM MOTOCICLISTA NÃO ULTRAPASSA PELA DIREITA”

  • Ale diz:

    Não entendo, o cara compra uma honda, Yamaha enfim e da problema ai acha normal, fácil de resolver. depois vê alguém q teve problema com uma Kasinski e já fala que não presta.

    Aos bitolados de plantão, a pouco tempo atrás a kawasaki fez um recall das ninjinhas, vários modelos, inclusive a 12/12 sobre um problema no sensor de queda podendo ocasionar o desligamento do motor com a moto em movimento. Fala agora tbm que a kawasaki não presta mané, e não esquece de postar vídeo no youtube rsrs.

    até hj ainda não conheci uma marca infalível..

  • Jeferson diz:

    comprei uma comet 250 gtr 2010 , moto muito boa , o freio traseiro q apresenta algums problemas , q parece q isso eh um problema cronico delas , mas no mais foi só isso ! na minha opiniao essas motos esportivas 250 sao todas meio q na media em tudo , nenhuma eh muito melhor q outra , a unica q fico devendo em desing foi a cbr 250, problemas de mecanica tudo q eh moto dá , tanto honda quanto yahama e etc … quem fica discutindo qual das duas eh melhor , compre uma R1 ou CBR 1000 rr entao , se querem ostentação !

Deixe um comentário

*