Novidades

Testes

Competição

História

Apresentação

Home » Testes

HONDA NC 750X VS. BMW G 650 GS

Enviado por on 16 de Outubro de 2015 – 15:524 Comentários
 

_EPI1060Bicudas

Texto: Felipe Passarela/Fotos: Gustavo Epifânio

Voltadas principalmente para o asfalto, estas duas médias mostraram muitas semelhanças além do preço

Conceito: o que é melhor para você, o novo da “New Concept” Honda NC 750X ou o consagrado da mid trail BMW G 650 GS? Para tentar sanar essa dúvida cruel colocamos as duas para rodar na cidade e na estrada. Essas motos têm características que de cara apontam para um ou outro público consumidor. Na NC, é o compartimento de 21 litros de capacidade escondido no falso tanque o grande atrativo (o tanque de 14,1 litros está embaixo do banco, como na BMW). O acesso ao bocal se dá pelo banco do passageiro, que é basculante. Para muitos pode não parecer algo tão importante, mas o fato é que a praticidade que o baú traz é a grande motivadora das compras de scooters e das adaptações de bauletos providenciadas por muitos proprietários de motocicletas.

_EPI1264

Por sua vez, a GS responde com outro tipo de praticidade: ela é mais trail, e pode encarar mais facilmente estradas de terra ou trilhas leves, fundamental para que mora em regiões repletas de vias não-pavimentadas ou ainda “pavimentadas” entre aspas mesmo, como ocorre na maioria das cidades brasileiras. Neste ponto, a genética mais adequada a ralis, evidenciada pelo aro dianteiro de 19”e pelas suspensões com mais recursos de regulagens, ajuda. Mesmo assim é preciso atenção, pois tratam-se de duas motos pesadas – 175 kg a GS e 209 kg a NC.

_EPI1023 _EPI1021

_EPI1010 _EPI1022

Já outro fator de extrema importância, o visual, pode ser decisivo. A Honda é mais moderna, enquanto o visual da GS é revela sua maior idade, embora seja ela uma queridinha do mercado. O degrau geracional aparece também em detalhes como o painel: todo digital o da NC, que nesta versão 750, ganhou um indicador de marcha engatada e um computador de bordo. O velocímetro traz dígitos de bom tamanho, o marcador de gasolina é visível e o conta-giros é por barras. Na GS o conta-giros é analógico com tela LCD ao lado que traz relógio, dois hodômetros parciais e totalizador. Não há medidor de combustível, trocado por uma luz-espia, acionada quando se atinge a reserva de 4 litros. Além disso, nesse momento é ativado um hodômetro para evitar a temível pane seca…

_EPI1267

Em conforto, item particulamente importante nessas motos adequadas a viajantes, ligeira vantagem da NC, notadamente pela menor vibração e rumorosidade do motor de dois cilindros. Entretanto, as suspensões a GS se mostraram mais macias no curso inicial, o que ajudou no degradado asfalto paulistano. A ergonomia é correta nas duas motos mas surpreende o fato de ser a BMW e não a NC a que tem o banco mais próximo do solo. Os baixos agradecem!

_EPI0998 _EPI0988

_EPI0978 _EPI0989

A proteção aerodinâmica de ambas é razoável, apesar da pequena altura dos para-brisas, e o calor do motor não chega a aquecer as pernas de modo sensível na NC, mas na GS pode incomodar.

É em suspensões que a GS leva vantagem, principalmente a traseira, com monoamortedor ligado à balança por links. Oferece um curso de 165 mm (150 mm na NC), e a prática regulagem no sistema hidráulico e na pré-carga da mola, por meio de um pomo acessível mesmo com piloto e garupa montados, facilitando o acerto quando o peso sobre a moto varia. Já a dianteira dispõe de curso de 170 mm (153,5 na NC…) e dispensa regulagens, mas se mostrou bem calibrada para todo tipo de uso e carga.

A Honda mereceria ter um garfo dianteiro mais firme e com alguma possibilidade de regulagem. Na traseira, também com monoamortedor e links, é possível alterar a tensão da mola, mas de maneira mais difícil que a da GS. O ideal mesmo seria ter mais recursos, como a concorrente – como não há, a Honda deixou as suspensões com uma calibragem média que deve agradar à maioria dos consumidores.

_EPI1152

Seis = meia dúzia? – No quesito motor, tudo muito diferente. O Honda é um bicilindro de 745 cc com 55 cv a 6.250 rpm e 6,94 kgf.m 4.750 rpm. Uma boa mudança face à antiga versão de 670 cc foi o retardamento de 400 rpm na atuação do limitador de giros, agora a 6.800 rpm, tornando mais agradável esticar as marchas. Na BMW é um monocilíndro de 652 cc com 50 cv a 6.500 rpm e torque máximo de 6,1 kgf.m a 5.000. Trocando em miúdos, temos um Honda mais “forte”, principalmente nas rotações mais baixas, o que o torna mais agradável na condução do dia a dia e facilita a obtenção das boas marcas de consumo.

Aliás, em economia de combustível, a NC tem se mostrado imbatível. Por exemplo, a uma média de 120 km/ h, registramos 29 km/l. E também na cidade, com algum cuidado, consegue-se chegar perto dessa marca. Já a GS geralmente consegue marcas entre 18 e 25 km/l, tanto na cidade como na estrada. Bons números, mas ofuscados pela recordista NC. Os tanques são praticamente iguais, a BMW com 14 litros e a Honda com 0,1 litro a mais. Autonomia? Perto de 400 km para a NC, e cerca 340 km para a GS.

_EPI1005

Além da economia, a velocidade de cruzeiro na estrada é semelhante: 170 km/h para a GS, 175 km/h para a NC. Na prática, constatamos que ambas podem manter o limite de nossas melhores estradas (120 km/h) com grande facilidade e ignorando subidas, mesmo com carga e garupa, e sem gastar muito.

Em relação aos câmbios, não há dificuldades no acionamento, sendo um pouco mais macio o Honda. São cinco marchas na GS e seis na NC. Esta última tem um escalonamento um tanto curioso, com a relação da quinta muito próxima da sexta. E, como o motor é silencioso e não vibra, rodando a 110 ou 120 km/l é possível ficar em quinta sem notar! Falamos isso com conhecimento de causa, pois rodamos algumas dezenas de quilômetros na estrada nesse vacilo.

Quanto aos freios, a NC 750X tem disco de 320 mm e pinça de dois pistões na dianteira, e disco 240 mm e pinça de um pistão na traseira. O ABS funciona de modo suave e são boas frenagens. A GS tem disco de 300 mm na frente (pinça de dois pistões) e de 240 mm atrás (pinça monopistão). Contudo, o ABS da BMW deveria ser mais progressivo, pois o pedal afunda de uma vez, assustando o piloto e causando impressão de má frenagem. Também poderia pulsar menos, como na Honda. Mas quem não se der bem com o ABS da GS pode simplesmente desligá-lo, por meio de uma tecla, o que será útil em estradas de terra. Quesito importante é o preço: quem leva a melhor? A Honda sugere para sua nova NC 750X, que pode ser branca perolizada ou preta, R$ 29.802 – ou R$ 31.972, caso seja equipada com ABS. Falta à marca aprender a oferecer acessórios originais, como para-brisa maior, malas laterais, top case, aquecedor de manoplas, cavalete central, faróis auxiliares e estruturas de proteção. Já a BMW sugere para sua GS, branca ou preta, R$ 32.800, sendo que o ABS é de série (além de protetores de mão e manoplas aquecidas). Ou seja, a moto bávara vem mais equipada com preço próximo da NC com ABS, e fora isso a marca alemã da um show quando o assunto é acessórios originais.

_EPI0984 _EPI0983 _EPI0981

Enfim, BMW e Honda oferecem duas interpretações diferentes de como se fazer uma motocicleta multiuso mas que desembocam em um mesmo resultado: como é possível notar na tabela de medições de desempenho elas são muito parelhas, coisa evidente ao observar o gráfico com a curva de aceleração. Para uns, a pegada mais trail da BMW poderá ser atraente, já outros se sentirão atraídos pela praticidade do porta-capacete da Honda. A BMW é uma moto testada e no auge de sua evolução, a Honda é moderna, mais recente, e nesta segunda “safra”, ganhou 75 cm3 no motor e alguns ajustes. Resumo do comparativo? Diferentes na aparência, equivalentes na essência.

notas gs vs nc 750x

medicao gs vs nc 750x

Medições: Marcelo Camargo

grafico gs vs nc 750x

ficha nc 750x ficha gs

 

 

LEIA TAMBÉM:

  • YBastion .

    Existe um erro no consumo médio da GS 650. segundo meus cálculos fica em 21,49 km/l e não 23,91 como informado.

    • Julio Rosenfeld

      Isso é porque não publicamos todas as medições de consumo obtidas, apenas a melhor e a pior. Para calcular a média, utilizamos todas as medições.

  • Victor Bogiano

    Muito boa essa matéria, eu estava em dúvida entre uma e outra e a opinião especializada foi decisiva.

  • Joseandro Gomes

    Muito boa a matéria. Deveria ser avaliado também as condições de pagamento. Quando estava
    pesquisando para comprar uma moto, se não me engano, a transalp estava mais barata que a
    g650gs, mas só tinha plano de CONSÓRCIO para 72 meses, que no final, eu
    pagava mais que o FINANCIAMENTO da bmw.